Brigas de Trânsito: você está preparado(a) para evitar ou se envolver?

Briga de trânsito
brigas de trânsito, você está preparado?
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Você já sentiu vontade de dar um soco em algum condutor folgado? Se a reposta é sim, não se preocupe: você é uma pessoa normal. Sentir raiva no trânsito é algo absolutamente previsível. Mas se você costuma se envolver em discussões no trânsito, cuidado! Você é um grande candidato(a) se envolver em uma briga de trânsito.

Estes conflitos urbanos se tornaram uma epidemia e causam diversos prejuízos, desde pequenas colisões, passando por agressões físicas e até culminando em homicídios no trânsito por motivos banais.

Estamos no início do ano (2020) e, infelizmente, já contabilizamos inúmeros flagrantes de agressões e homicídios. E, um deles me chamou atenção. Três pessoas da mesma família morreram após serem baleadas em uma discussão de trânsito em Porto Alegre. Segundo informações da Polícia Civil, após uma pequena colisão, houve uma perseguição entre os carros e durante a discussão um dos motoristas sacou uma arma e atingiu três pessoas. Duas delas, a mãe e o pai, morreram no local. O filho do casal chegou a ser levado para o Pronto Socorro, mas não resistiu.

Brigas de trânsito causaram pelo menos 39 mortes em 2019

Mas por que o trânsito está ficando tão violento? Por que os condutores estão tão agressivos? Para estas perguntas existem várias respostas, em meu livro “Educação Emocional no Trânsito: o medo e a raiva dos condutores” proponho que o condutor passa por um ciclo de emoções de medo e raiva que motiva um comportamento de risco.
Este ciclo acontece a todo momento nas situações de trânsito e podem ser ocasionados por diversos estímulos, sejam eles externos ou internos, como por exemplo o medo de se atrasar para um compromisso ou a raiva diante dos obstáculos. O problema é quando o condutor sente raiva, seja qual for o motivo, e não consegue controlar o impulso agressivo que esta poderosa emoção produz.

Portanto, voltemos a primeira pergunta deste artigo sobre o sentimento da raiva, porque a experiência das emoções é normal e até necessária. O dilema reside no que você faz quando está com raiva, entende?

Buzinar, xingar e exibir gestos obscenos é a forma mais fácil de “expulsar a energia” da ira, mas é a forma mais fácil de começar uma briga de trânsito. Portanto a minha principal orientação é evitar o quanto possível estas reações.

Gosto de comparar a raiva como um ser vivo: ela nasce, cresce, se reproduz e morre. Sua morte será declarada quando você desvia o pensamento do estimulo que a produziu. O desafio é não deixar que ela se reproduza. Isso acontece justamente quando exibimos “sinais” de agressividade para o outro. É aí que ela inicia um novo ciclo de vida no outro condutor que provavelmente poderá corresponder ou até aumentar o seu grau de intensidade (o que geralmente acontece).

A falta do controle dos impulsos também promove infrações.

Para evitar essas situações desagradáveis e as suas consequências, você pode criar uma “blindagem cognitiva” através de simples ações. Confira as dicas abaixo e comece hoje mesmo!

Procure não cometer infrações
Muitos conflitos começam quando alguém comete uma infração de trânsito. Existem condutores (são muitos) que não aceitam as famosas “roubadinhas”. Quando isso acontece, costumam protestar ou até dificultar a manobra para o outro condutor iniciando uma discussão, além disso, você evita possíveis acidentes e multas.

Não leve seus problemas para o trânsito
Sabemos que é comum estar cansado ou estressado depois de um dia difícil. Mas descontar sua raiva em outros motoristas não vai amenizar o fato do seu dia ter sido pesado. Muito pelo contrário, só irá acumular mais situações desagradáveis para você aumentando o seu nível de estresse. Fique atento se você tem o hábito de descarregar as tensões ao volante, pois isso deixa o seu cérebro “viciado” a reagir com agressividade.

Gentileza gera gentileza
Lembre-se de que você está dividindo a via com outras pessoas que podem estar passando por momento difíceis ou que ainda podem ter certas limitações e precisam da sua ajuda. Não espere que o outro te dê a preferência.

Faça isso sempre, por iniciativa própria, aos poucos você vai perceber que as pessoas irão retribuir com sorrisos e sinais de gratidão pela passagem cedida, isso faz com que você se sinta melhor. Dificilmente você vai se envolver em uma discussão utilizando a cortesia como iniciativa para as suas ações.

Agora que você já sabe quais são as principais dicas que você deve seguir para evitar brigas desnecessárias no trânsito, é hora de bota-las em prática para garantir “a sua paz no trânsito”.

Te aguardo no próximo post.

Abraços,

Rodrigo Ramalho

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.
Compartilhar