peetransito - O Portal da Educação Emocional no Trânsito

Palestras de segurança no trânsito

Palestras de legislação de trânsito

Palestras de educação no trânsito

Palestras de Motociclismo consciente

Palestras motivacionais de segurança

Palestras para SIPAT

Palestras de Meio Ambiente e sustentabilidade

Palestrante de segurança no trânsito

Palestrante de legislação de trânsito

Palestrante de educação no trânsito

Palestrante de Motociclismo consciente

Palestrante motivacionais de segurança

Palestrante para SIPAT

Palestrante de Meio Ambiente e sustentabilidade

Palestras Motivacionais

Palestrante SIPAT

Entrevista: Controle do stress no trânsito é possível

Data de publicaçâo: 13/08/2014
Por: Poliane Brito

No trabalho, com a família e os amigos, muito se fala sobre a importância da inteligência emocional para o sucesso das relações interpessoais. Mas qual a importância desse controle no trânsito? A Perkons entrevistou o especialista em inteligência emocional no trânsito Rodrigo Ramalho e autor do livro “Educação Emocional no Trânsito: o medo e raiva dos condutores” para entender quais características definem o motorista com inteligência emocional e o uso de técnicas para melhor desempenho ao volante e para desenvolver.  Confira!

Perkons: O que é inteligência emocional quando falamos de trânsito? Qual sua importância?

Ramalho: É um conjunto de habilidades emocionais que o indivíduo desenvolve para enfrentar o trânsito cotidiano: repleto de conflitos e perigos. Assim, levar inteligência às emoções possibilita ao condutor uma direção mais consciente e segura. Isto, porque está mais atento aos seus impulsos e emoções, assim poderá modular com mais eficiência seu nível de stress, inclusive a sua raiva em diversas situações no trânsito: nos congestionamentos, em potenciais conflitos com outros condutores e outras situações estressantes do tráfego intenso.

Perkons: Quais são as atitudes que definem um motorista que tem inteligência emocional?

Ramalho: Este condutor se diferencia em muitos aspectos. Mas sua forma de conduzir se traduz em comportamentos mais cooperativos e pacíficos, demonstrando gentileza e mais paciência em diversas situações conflitantes do trânsito. Será mais tolerante com os pedestres e mais sutil quando se comunicar com outros usuários das vias.

Perkons: A inteligência emocional no trânsito é algo que se pode desenvolver? 

Ramalho: Sim. Venho trabalhando nos últimos anos uma série de estratégias no Programa de Educação Emocional no Trânsito – PEET para conscientizar a sociedade de que é possível obter um melhor desempenho ao volante utilizando as técnicas da Inteligência Emocional.Muitas delas envolvem o exercício dos lobos frontais (região do cerebral que controla as emoções), e que geram circuitos mais operantes no cérebro, no corpo e comportamento.

Perkons: Entre homens e mulheres, é possível estabelecer quem tem mais ou menos inteligência emocional no trânsito?

Ramalho: Homens e mulheres lidam com stress de diferentes formas. Geralmente as mulheres são bem menos agressivas e cometem menos imprudências no trânsito. Os homens ao contrário, esboçam comportamentos mais competitivos e se envolvem em muitas discussões que culminam em brigas de trânsito. O nível de Inteligência emocional é muito relativo, varia de indivíduo para indivíduo (isto independe de gênero).

Perkons: O medo de dirigir tem relação com menor grau de inteligência emocional?

Ramalho: Não necessariamente. Existem pessoas que desenvolvem comportamentos fóbicos apesar de apresentarem extrema habilidade emocional em diversas situações diferentes, inclusive sociais. O que ocorre é que a inteligência emocional tem várias áreas e peculiaridades. Existem pessoas que desenvolvem um grande poder de negociação, embora sejam frias emocionalmente com seus pares e filhos. Outros poderão ser exímios amantes repletos de qualidades que atraem as pessoas, embora não saibam lidar com a própria raiva, e assim por diante. Todas as pessoas precisam desenvolver as habilidades emocionais, pois elas nos conduzem ao sucesso no trânsito e em todos os momentos da vida.

Fonte: perkons.com.br