peetransito - O Portal da Educação Emocional no Trânsito

Palestras de segurança no trânsito

Palestras de legislação de trânsito

Palestras de educação no trânsito

Palestras de Motociclismo consciente

Palestras motivacionais de segurança

Palestras para SIPAT

Palestras de Meio Ambiente e sustentabilidade

Palestrante de segurança no trânsito

Palestrante de legislação de trânsito

Palestrante de educação no trânsito

Palestrante de Motociclismo consciente

Palestrante motivacionais de segurança

Palestrante para SIPAT

Palestrante de Meio Ambiente e sustentabilidade

Palestras Motivacionais

Palestrante SIPAT

Despoluir realiza capacitação de técnicos do programa

Por: Natália Pianegonda

Objetivo é promover troca de experiências e fortalecer ações voltadas à redução dos impactos ambientais causados pela atividade transportadora.

A CNT (Confederação Nacional do Transporte) e o SEST SENAT realizaram, nos dias 22 e 23 de outubro, o VII Encontro Nacional do Despoluir. O Programa Ambiental do Transporte é desenvolvido pelas duas instituições, em parceria com federações e sindicatos nos estados. O objetivo do evento foi qualificar e integrar coordenadores e técnicos que atuam no programa, em todo Brasil.  

Conforme a diretora-executiva nacional do SEST SENAT, Nicole Goulart, a oportunidade favorece a troca de experiências e o aprendizado para solução dos diversos desafios que fazem parte da rotina. “A união de esforços consegue fazer com que se alcance o objetivo primordial desse programa, que é promover a saúde do trabalhador em transporte”, destacou ela, durante a abertura do evento. 

No encontro, os técnicos e coordenadores locais do Despoluir conheceram, com mais detalhes, o trabalho realizado pelo Programa Ambiental do Transporte junto aos diversos atores do setor de transporte. Eles são, além da CNT e do Sest Senat, entidades filiadas, poder público, montadoras e a indústria do petróleo. 

Na oportunidade, o coordenador nacional do Despoluir, Vinícius Ladeira, destacou os desafios e objetivos do Programa para 2016. Eles estão voltados, principalmente, ao ganho de eficiência energética do transporte rodoviário de cargas e de passageiros e à difusão de boas práticas, capazes de promover a diminuição do uso de recursos naturais pela atividade.

Foram repassadas informações, também, sobre legislação ambiental e sobre mecânica de motores a diesel, a fim de auxiliar os técnicos a orientar como deve ser feita a manutenção dos veículos reprovados nas aferições realizadas. Essas aferições consistem na verificação da quantidade de material particulado – poluentes – presente na fumaça emitida pelos ônibus e caminhões. Se o índice está de acordo com limites fixados por normas ambientais, os veículos são aprovados e recebem o selo do Despoluir. Do contrário, os proprietários são orientados sobre a manutenção que deve ser feita, para regularizar a situação. 

Com a finalidade de estimular iniciativas diversas nos estados, os participantes também conheceram exemplos de boas práticas e convênios firmados com órgãos públicos. O objetivo é ampliar a atuação e o conhecimento sobre o Despoluir entre os profissionais que atuam com o transporte rodoviário de cargas e de passageiros. 

Resultados do Despoluir 

O Despoluir é destinado a promover o engajamento de transportadores, caminhoneiros autônomos, taxistas e sociedade em ações de conservação do meio ambiente. Um dos carros-chefes da iniciativa são as aferições realizadas em ônibus e caminhões. 

Além dos benefícios para o meio ambiente, as verificações ajudam os transportadores a reduzirem o custo operacional da atividade. Isso porque problemas mecânicos e falta de manutenção adequada que geram esse efeito também estão associados ao aumento do consumo de óleo, de combustível e de desgaste precoce de componentes dos ônibus e caminhões. 

De 2007, quando o programa teve início, até agosto de 2015, já foram realizadas mais de 1,4 milhão dessas verificações. Quando os veículos não estão de acordo com padrões estabelecidos por órgãos ambientais, os veículos são reprovados, e os proprietários recebem orientações sobre medidas que devem ser tomadas para corrigir o problema. Já foram atendidas mais de 12 mil empresas e de 13,5 mil caminhoneiros autônomos. 

Fonte: Agência CNT de Notícias